Carol, do que você mais sente falta na Europa?

Na verdade eu não sinto falta só da Europa, mas da viagem em si, de nós três juntos!

Sinto falta de dar risada de nós mesmos, das nossas indiadas e pagações de micos.

Sinto falta do arrepio no estômago constante durante 33 dias, aquele frio na barriga que sentimos frente ao novo.

Eu não sinto falta de conhecer pessoas novas, porque eu gosto das que já conheço. Também não sinto falta de outros idiomas, pq não gosto de conversar com quem não conheço. Mas sinto falta de conhecer novas culturas, descobrir novos tipos de transporte público, conhecer lugares e obras estudadas na escola, e ainda dividir tudo isso com os amigos.

Mas especificamente na Europa eu sinto falta do metrô, do chocolate branco com pedaços de morango, do respeito a individualidade alheia demonstrada até na forma de vestir, sinto falta do pão francês, …

Eve, do que você mais sente falta na Europa?

Ah, tá fácil!

Sinto falta de muita coisa: dos Parques impecáveis, das estátuas perfeitas, de ouvir pessoas falando em vários idiomas.

De pegar trem. De pegar trem. De pegar trem….muito, muito, muito. De dormir no trem em um país e acordar em outro.

Sinto falta de fazer amigos que moram em países que eu não sei onde fica.

E de ser bronzeada no meio de tantos branquelos.

Sinto muita falta dos pubs e das pints de cerveja.

Do Tiergarten, dos sanduíches…

Saldos da Viagem

Três anos depois, nós publicamos abaixo os saldos da viagem. Não sei porque essa inspiração tanto tempo depois… talvez porque estejamos planejando a próxima indiada para o outro lado do Atlântico!

Saldos da Viagem:

  • 8 países e 20 cidades em 33 dias (incluindo um susto na Áustria. O que é estranho porque a Áustria não estava no roteiro);
  • 27.767 km percorridos;
  • 3 mochilas de 75l cada, e mais 3 malas extras;
  • Saldos bancários: muuuuuito negativos;
  • Gorjetas pagas: 0,20 euros… hehehehe!!
  • 6 câmeras fotográficas (pra quê, heim?!?!?);
  • Mais de 3.000 fotografias;
  • Mais de 50 vídeos;
  • Mais de 120 sanduiches comidos;
  • Incontáveis pints bebidas;
  • 7 albergues;
  • 7 trajetos aéreos;
  • 2 trajetos rodoviários;
  • 6 trajetos ferroviários;
  • 1 reunião para o Indaba;

trajeto

França

Paris – 06 à 10.ago.2007

Nós 3 na Torre Eiffel

Chegamos no famoso Charles de Gaulle às 21h25min (hora local), e quem acha que caos aéreo é coisa de Brasil tá muuuuito enganado.

Lá no primeiro mundo os vôos também atrasam.

Lá no primeiro mundo, a gente também fica em pé em filas esperando pra embarcar.

Lá no primeiro mundo também tem aeroporto que tu tens que atravessar a pista a pé pra chegar no avião.

Lá no primeiro mundo se passa hoooooras no saguão esperando a bagagem aparecer….

E foi o que acoteceu… e quanto mais vôos chegavam, maior era a confusão.

A parte boa? Voltar a gastar em Euros!!!!

Do aeroporto fomos direto pro albergue D´Artagnan. Beeeeeeem legal! Ele tem pub próprio, com videokê, música ao vivo, filmes, sinuca, um café da manhã completíssimo, mas uma internet bem cara e pouquíssimos computadores a disposição. Mas é claro que descobrimos uma lojinha, dobrando na primeira ruelinha à esquerda, com internet bem baratinha!!!

Rocha na Torre Eiffel

Iniciamos o dia 07 passeando no funcional metrô parisiense, conhecendo a Torre Eiffel, e filmando mais uns videozinhos pagadores de vale por lá!

Metro

“Uma antena gigante quase do tamanho do Laçador” – Eve

Eiffel

De lá fomos para outro clássico: o Arco do Triunfo.

“Igualzinho ao da Redenção” – Carol

Depois caminhamos um pouco na chuva e rumarmos à Notre-Dame na Ile St. Louis, entramos em mil lojinhas de souvenirs e passamos pelo Hotel De Ville, aquele que quando assaltarmos o Federal Reserve poderemos nos hospedar.

Rocha no Arco do Triunfo

Paris é suja como qualquer outra metrópole por aí, principalmente o metrô, mas tem todo aquele glamour de ser Paris!

Carol na Notre Dame

“Depois falam que os fraceses não tomam banho, mas vocês sabem aquelas torneiras de banheiro de shopping?!?! Aquelas que a gente aperta e água começa a sair e a diminuir?!?!? Pois é, a torneira do chuveiro do albergue era assim! Dá pra acreditar?!?!?! Fala sério!! Tu lá, no bom do banho e água, em menos de um minuto, começa a diminuir e acaba! Foram altos malabarismos pra tomar banho segurando o botão … que momento!” – Carol

O dia seguinte choveu e passamos quase todo dentro do Louvre!

Pirâmide

Inacreditável! O Louvre tem goteiras! Vários baldes espalhados! Por todo ele! E tem alas que fedem! E fedem muito a esgoto!

Goteiras no Louvre

Mas ele também tem outras coisas inacreditáveis: as principais! Uma obra de arte mais inacreditável que a outra! Quadros e esculturas que estamos acostumados a ver na tv ou internet e de repente ali, de verdade, na tua frente! Exceto a Monalisa, que não tem graça nenhuma! Uma mulher feiosa, pintada num quadro pequenininho, com uma multidão na frente! Coisa mais sem graça!

Louvre Venus de Miro Espadas - Louvre

E é claro que era proibido tirar foto dela. Mas é claro que …. aí está a foto:

Monalisa - Louvre

Deu pra conhecer quase todo museu, sem muitos detalhes, praticamente uma maratona… mas depois de 4h em Venezza… isso é barbada pra nós!

As dimensões dessa obra aí em baixo são maiores dos que as do apê da Eve…hihihihihi!!!!!

A Eve podia morar ai!

Pra variar chamaram nossa atenção lá: só porque sentamos no chão de um dos corredores pra fazer um lanchinho: “O que tem de mais?!?!!?”

Depois de lá ainda fomos conhecer o Moulin Rouge, o Pantheon e Galleries Lafayette. Muitas compras depois, acabamos a noite bebendo num pub irlandês.

Moulin Rouge

“A rua onde fica o Moulin Rouge é um lugar nojento, num nível muito abaixo da Voluntários! Só valeu mesmo pra matar a curiosidade, e pra fazer a alegria do nosso querido amigo Rochinha, que deve ter amado aquilo lá…” – Carol

“Um lugar que mulher nenhuma no mundo jamais deveria ir.” – Eve

Rua do Moulin Rouge

Acordamos cedo dia 09/ago e fomos direto trocar de albergue. Esse novo era uma m… sem tamanho!!!!. O quarto da Carol e da Eve era no quinto andar e não tinha nem elevador pros hóspedes, somente uma escadinha podre de velha e estreita.

Durante a manhã, conhecemos um pouco do bairro, depois almoçamos sanduiches no albergue mesmo, só para dar uma variada no cardápio, e enquanto a Eve descançava no por lá, a Carol e o Rocha foram conhecer o cemitério Pére Lachaise (onde estão Jim Morisson, Chopin, Allan Kardec e Maria Callas, por exemplo), passearam pela Champs Élysées e voltaram a fazer compras nas lojas ao redor das Galleries Lafayette.

Jim Morrison Pére Lachaise

Nesta última noite, nós três voltamos ao pub do D´Artagnan para beber, curtir um pouquinho a noite e brindar o final da viagem!

D´Artagnan Pub
Desperados

Dia 10 acordamos e… deixa pra lá….

Lista 7 – Encargos de Patrulha

Cada um de nós tem características bem diferentes uns dos outros (beeem diferentes…), por isso, durante nossa jornada assumimos legítimos Encargos de Patrulha:

– Aguadeiro: Rocha (ele carregou na mochila, pelo menos, 2 litros de água todos os dia);

– Copeira: só podia ser a doente da Carol, que é a única pessoa no mundo que gosta de lavar louça!

– Cozinheira: Eve (ainda vai entrar na contabilidade da viagem o n.º absurdos de sanduíches que a Eve preparou nos mais de 30 dias);

Almoço na Westminster Almoço na Westminster 

– Tesoureira: Carol (alguém tinha que saber somar …);

– Escriba/Secretária: Carol (… e escrever, e ser organizada… );

– Mulher-bússola: Carol (já tá acumulando cargos!);

Madrid

– Almoxarife: Rocha (coitado* ! Carregou tudo naquela mochila o tempo todo para as bonitas andarem de bolsa!!!);

A organização do Almoxarife!!!

 E conquistamos Especialidades também:

– Língua Alemã: Rocha

– Língua Francesa: Eve (se bem que o Rocha acha que também conquistou, coitado* !!!)

– Língua Italiana: Carol (se ela resolvesse falar, né?!?!)

– Barbearia / Pechinchadora / Comunicação: Eve

– Sales: Carol

Carol

– Sobreviência: Rocha (adivinhem como a Eve conquistou a Especialidade de Barbearia???)

– Enologia / Cervejaria: Toda Patrulha!!! 

Lojinha boa em Firenze Brinde em Berlin

* Allard, o uso da palavra “coitado” não é no sentido que tu estás pensando!

Lista 6 – Pequenas Coisas Maravilhosas

Todos lugares que visitamos são incríveis, mas às vezes o que marca mesmo são as pequenas coisas… coisas que certamente sentiremos falta, por mais que também existam no resto do mundo!

– O metrô de Madri;

– O pátio de convivência do albergue de Madri (“Eu preferi o de Firenze” – Carol);

– A pizza de Roma;

– O sorvete italiano;

– O clima de descontração de Firenze;

– O trânsito de Berlin;

– O Red Light District (Rocha);

– As panquecas holandesas do Allard;

– A beleza e limpeza das cidadezinhas holandesas;

– “Mind the Gap”;

– Pint no Reino Unido… inesquecível!!!!

– Whisky na Escócia;

– O respeito à diversidade cultural no Jamboree;

– O pão francês;

– O visual da Escócia;

Lista 5 – Piores Momentos

“Cada momento ruim traz uma lição de vida”

– Dormir na escadaria da estação de metrô de Madri;

– Pagar a passagem aérea para Roma;

– O calor insuportável de Firenze;

– As 12h de viagem e os 3 trens Firenze/Berlin;

– As 9,5h de viagem Londres/Edimburgo com a Carol enjoada e vomitando;

– As 9,5h da volta;

– A Áustria;

– O cheiro de asa;

– Red Light District (Eve);

– Pagar pelo excesso de bagagem ao sair da Holanda;

– Vestir 8 blusas, 2 calças, 6 meias e 2 casacos pra não ter excesso de bagagem ao sair de Londres (e é claro que teria sol e calor justamente naquele dia! – Carol);

– O retorno pra POA (interprete como quiser!).